Mara Kotscho: a meditação como prática cotidiana

Imagem

Meditar, para a socióloga, tem, entre diversos benefícios, a conquista do autocontrole, na absoluta confiança em Deus

 

Onde você nasceu?

 Meu nome completo é Maria Carmen Nogueira Kotscho (ou Mara Kotscho). Nasci em São Paulo, capital, no dia 14 de fevereiro de 1953. Sou casada há 40 anos com o jornalista Ricardo Kotscho. Temos duas filhas e quatro netos.

 

 E sobre a sua “trajetória” espiritual? 

 Já em criança tinha formação católica, e sempre tive muita fé. Nunca duvidei da existência de Deus, de uma força maior que nos governa e orienta. Mas, apesar de ter estudado em colégio de freiras, nunca fui muito de ler a Bíblia, que confesso, a meu ver, tem uma linguagem muito hermética, difícil de entender. E participo de um Grupo de Oração, bastante eclético e ecumênico, desde 1980.

 

 Como a meditação entrou em sua vida?

 Há mais ou menos 30 anos li um livro chamado “Autobiografia de um Yogue”, de  Paramahansa Yogananda, com o qual muito me identifiquei e que despertou em mim a vontade de conhecer mais e melhor a Kriya Yoga, uma linha de yoga voltada exclusivamente para o desenvolvimento espiritual. Trata-se de “uma técnica científica para se obter a autorrealização em Deus, pela percepção pessoal e transcendente que o homem alcança de seu Pai Infinito”.

 

 Fale mais sobre Yogananda, por favor.

 Paramahansa Yogananda é um mestre espiritual/guru hindu, que foi escolhido por seu mestre Mahavatar Bábají para divulgar a mensagem da Kriya Yoga no Ocidente. No começo do século passado ele fundou na Califórnia a Self Realization Fellowship, uma escola de autorrealização em Deus que fornece cursos, palestras, encontros espirituais, literatura e outros materiais de divulgação da Kriya Yoga. Além do fato de ser um mestre iluminado, que orienta seus discípulos que escolhem o caminho da Kriya Yoga a conhecer e se unir a Deus, teve a importância histórica de promover a união entre o Ocidente e o Oriente na busca do aperfeiçoamento espiritual.

 

 Além dele, há outros líderes espirituais?

 Como não se trata de uma religião propriamente dita, a Self Realization Fellowship abarca os ensinamentos de líderes espirituais de várias religiões do mundo. Mas, como toda organização espiritual, ela tem uma hierarquia própria. Os meus líderes espirituais são os líderes espirituais da hierarquia da Self: Jesus Cristo, Krishna, Babají, Lahiri Mahasaya, Sri Yuktéswar e Pahamanansa Yogananda.

 

 Mara, quando você começou a meditar?

 Comecei a meditar quando tinha mais ou menos 25 anos. Mas, nessa época, não havia adotado, ainda, um caminho específico. Estava em busca de algo com que realmente me identificasse. Alguns anos depois de ter lido o livro de Yogananda, tive a oportunidade de ir à Califórnia e de conhecer alguns templos da Self, onde me inscrevi para fazer o curso, criado por Yogananda para orientar aqueles que escolhem esse caminho. Trata-se de um curso de três anos, por correspondência, que auxilia o discípulo a se preparar para essa busca, ensinando, inclusive, as técnicas de meditação específicas da Kriya Yoga. Durante o curso, a identificação com o Mestre e com as propostas da linha por ele adotada foi total e absoluta. Ao término das lições tudo isso me levou a solicitar a iniciação em Kriya Yoga, o que significa dizer criar um vínculo eterno com o Mestre Yogananda e todos os mestres da hierarquia (algo semelhante ao batismo na Igreja Católica). A partir daí, as técnicas de meditação que pratico são as recomendadas e ensinadas pela Self.

 

 Dentro de um dia a dia impressionantemente rápido, como vivemos, qual a importância da meditação em sua vida?

 Meditar para mim é tão vital como comer e respirar. Os benefícios da meditação, quando praticada regularmente, e independentemente do conceito que se tenha de Deus, são muito concretos e perceptíveis no curto prazo. Os mais imediatos são: aumento da capacidade de concentração, paz de espírito, tranquilidade, alegria de viver, ausência total de ansiedade, aumento da autoestima, para citar apenas alguns.

 

 Como se programa? Há horários fixos?

 Medito duas vezes por dia, cerca de 30 minutos cada vez. A meditação da manhã faço sempre numa igreja perto de casa. Trata-se de um lugar tranquilo, que me faz sentir mais perto do Divino. A da noite faço em casa mesmo, antes de dormir.

 

 A meditação independe da faixa etária? Para as crianças, por exemplo…

 Acho que para as crianças os benefícios são os mesmos obtidos pelos adultos. Dizem os entendidos que o estado de meditação é natural nas crianças. Geralmente elas interagem muito mais facilmente com as técnicas do que os adultos, que normalmente precisam superar os bloqueios e couraças acumuladas ao longo da vida. Acho que as crianças percebem os benefícios da meditação com a própria prática. No caso delas, é mais lúdica, mais parecida com uma brincadeira gostosa, só que mais séria.

 

O frei Betto mandou mensagem, pelo twitter, dizendo o seguinte: “Quem medita não se irrita”. Você concorda?

 Totalmente! Justamente porque a pessoa que medita regularmente adquire um autocontrole natural e sobre as coisas que a circundam. E tudo se torna relativo. Você passa, naturalmente, a não se desgastar com nada, porque a paz de espírito, a alegria de viver (ou, em outras palavras, a confiança em Deus), tornam-se maiores do que qualquer coisa que possa ameaçar. Recentemente li uma frase parecida com essa do frei Betto: “A pessoa ansiosa ou que se preocupa demais com as coisas não acredita em Deus”. Se você depositar todas as suas preocupações nas mãos Dele e, por direito de herança (já que somos Seus filhos, feitos à Sua imagem e semelhança), Dele exigir a solução, não haverá por que se preocupar.

Anúncios

4 Comentários

Arquivado em Uncategorized

4 Respostas para “Mara Kotscho: a meditação como prática cotidiana

  1. Marisa

    Linda entrevista!!!! parabénsssssssssssssssm aos dois!!!! beijos,
    Marisa

  2. Concordo plenamente, as vezes nào posso meditar pro causa de algum imprevisto e eu sinto a diferença, somos parte de uma energia superior e necesitamos conectar-nos com ela, e quando não acontece sofremos.

  3. Marilia Balbi

    A Mara falou tudo com simplicidade! Adorei a entrevista, e com certeza também Paramahansa Yogananda, um mestre de pura beleza!

  4. Adriana Ozorio

    Gostei bastante da entrevista! O texto atingiu-me!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s